Horóscopo Egípcio

A Magia da Civilização Egípcia  é especial e única no mundo. Seus conhecimentos sobre o mundo dos mortos e dos mistérios dos céus, tornaram os egípcios os verdadeiros precursores da Era de Aquarius. Afinal, o nascimento do Egito ocorreu num signo de AR,  assim como a Era na qual estamos entrando agora. 

A partir da data de nascimento, descubra o seu signo egípcio:

Bastet (16/01 até 15/02)   Tauret (16/02 até 15/03)
Sekhmet (16/03 até 15/04)  Ptah (16/04 até 15/05)
Thoth (16/05 até 15/06)    Ísis (16/06 até 15/07) 
(16/07 até 15/08) Neith (16/08 até 15/09)
Maat (16/09 até 15/10)  Osíris (16/10 até 15/11)
Hathor (16/11 até 15/12)  Anúbis (16/12 até 15/01)

 

 

BASTET  (16/01 até 15/02)

 Constelação  Aquarius

Bastet era a deusa com cabeça de gato que protegia a dança, a música, os livros e os demais prazeres humanos. Os aquarianos, da mesma forma,  amam a natureza, as belas artes, a literatura e a liberdade.

Os nativos de Bastet são justos, prudentes, inteligentes, estudiosos, de natureza filosófica, humanitários e, principalmente, de idéias muito avançadas. 

São indivíduos profundamente ligados ao seu grupo social podendo, inclusive, liderá-lo. Eles amam a humanidade e não o homem em especial, resultando daí, uma dificuldade nos relacionamentos mais íntimos. Para os filhos de Bastet, muitas vezes, um amigo sincero é mais importante que um relacionamento amoroso.

 

TAURERET (16/02 até 15/03)

  Constelação Pisces

Taueret é a deusa-hipopótamo que protegia os nascimentos nesta e na vida além-túmulo.  Taueret é como o signo de Peixes, o último do zodíaco, que cobra um renascimento espiritual de todos.

Os nascidos sob a proteção da deusa Taueret possuem uma premonição e uma espiritualidade muito grande, são idealistas, emotivos, sentimentais, impressionáveis e, às vezes, metódicos e perfeccionistas.

As pessoas deste período possuem um "radar" que capta as vibrações do ambiente a sua volta e, se não cuidarem, poderão ser  influenciadas negativamente por este mesmo ambiente. Devido a grande insegurança que sentem, podem se esconder atrás de uma máscara de frieza e alienação. 

O espírito de liderança não é muito forte neste signo e, não raramente, preferem ceder seu lugar aos outros num gesto humanitário (não é por acaso que Peixes é o último signo do zodíaco).  

Se não forem evoluídos, os filhos de Taueret podem abusar de vícios e exageros de todos os tipos. Eles não sentem-se bem neste mundo e esperam ansiosamente algo melhor após a morte (ou renascimento). Portanto, costumam ficar perdidos entre os dois mundos, o dos vivos e o dos espíritos, não pertencendo a nenhum deles em especial. 

Use sua sensibilidade e intuição para ver aquilo que os outros signos não conseguem: a vida é um contínuo renascer abençoado pela deusa Taueret.

 

SEKHMET  (16/03 até 15/04)

  Constelação  Áries

Sekhmet era a terrível deusa egípcia da guerra e das batalhas. Áries possui Marte como planeta regente, o deus da guerra romano.

Os nativos de Sekhmet possuem muita energia mental, são ambiciosos, desejam progredir e são felizes somente após realizarem a sua vontade.

Os filhos de Sekhmet menos evoluídos podem ser violentos, precipitados, impulsivos e indiscretos.

Sekhmet desconhece o medo e a covardia, lutando sempre por seus direitos de forma agressiva; não tem muita paciência e não aceita conselhos de forma passiva.

Uma espiritualização se faz necessária para os filhos de Sekhmet, caso contrário, eles perdem o auto-controle, assim como a sua deusa regente. 

 

PTAH  (16/04 até 15/05)

 Constelação   Taurus

Ptah era o deus da antiga capital do Egito, Mênfis, considerado o protetor dos artesões (trabalhadores). As palavras "trabalho e sobrevivência" resumem a vida de um taurino.

Os nascidos sob a regência de Ptah são reservados, práticos, obstinados, persistentes e amantes da luta pela sobrevivência.

Se for um nativo de baixa evolução, pode tornar-se apático, preguiçoso, dependente, pessimista, grosseiro e sem objetivos na vida. Pode, também, apegar-se muito aos bens materiais esquecendo o lado espiritual da vida.

Os filhos de Ptah são conhecedores da matéria e de tudo aquilo que é tangível pelos cinco sentidos. Tal atitude pode acarretar uma situação onde o TER torna-se mais importante que o SER e, nessas condições, Ptah profetiza fortes desequilíbrios para seus filhos: "quanto mais nos apegarmos ao TER, mais queremos TER, provocando medo, ansiedade e angústia pela possibilidade da  perda".

Liberte-se da necessidade excessiva de segurança material e descubra as belezas espirituais do mundo.

THOTH  (16/05 até 15/06)

  Constelação    Gemini

Thoth era o deus da escrita e da sabedoria; era conhecido também como Hermes Trimegistro. Para os gregos, era Mercúrio,  o planeta regente de Gêmeos.

Os nativos de Thoth necessitam comunicar-se e, para eles, a ligação entre as pessoas e idéias é de suma importância. Representam a vivacidade, a versatilidade e a mutabilidade. São inquietos e com uma ânsia muito grande em aprender e conhecer.

Seus nativos oscilam entre a crença e a descrença, entre o raciocínio e o sentimentalismo. Raras vezes acabam uma coisa, sem haverem iniciado uma outra. Precisam controlar as paixões, caso contrário, encontrarão sofrimento amorosos.

ÍSIS (16/06 até 15/07)

 Constelação   Câncer

Ísis, a grande mãe, está associada ao simbolismo da Lua (regente do signo de Câncer). 

Os nascidos sob a regência de Ísis são perseverantes, reservados, sensitivos, com boa memória e dotados de energia. Possuem um humor variável e muito dependente do ambiente sendo, por isso, em determinados momentos,  inconstantes, indecisos e vacilantes.

Assim como Ísis, a deusa da magia, seus filhos possuem uma intuição e uma mediunidade muito grande. Os nascidos nesse período costumam apresentar  fadiga, stress e problemas associados à ansiedade e insegurança.

Os filhos de Ísis possuem uma ligação muito forte com a família e tudo relacionado com ela. De uma  certa forma, são tradicionais e muito apegados ao lado materno da família (regido pela Lua).

Cuide para não exigir muita atenção das outras pessoas; viva a vida de uma forma mais racional e deixe seu sentimentalismo um pouco de lado.

  (16/07 até 15/08)

    Constelação de Leo

Rá é o Deus-Sol do Egito, o mesmo Sol que rege o signo de Leão.

Rá luta para ser  o centro das atenções, podendo ser arrogante, teimoso e déspota. Ele sabe que nasceu para liderar, contudo,  precisa cuidar do egocentrismo e do orgulho que podem eclipsar um pouco o seu sol pessoal tornando-o daí um rei sem súditos e solitário, o que seria dramático para Rá.

Quando Rá está harmonizado com seu ambiente, torna-se um líder idealista, liberal, generoso, protetor e simpático, enfim, um verdadeiro rei. A única coisa que Rá espera, nessas condições, é a gratidão e a lealdade de seus comandados.

São cheios de esperança, têm muitas amizades e alcançam boas posições, devido a seus próprios esforços. Devem  assumir posições de liderança e nunca de subalterno, sob pena de tornarem-se um Rá desequilibrado, violento, agressivo e escravo de suas paixões.

 

NEITH (16/08 até 15/09)

    Constelação de Virgo

Neith era a deusa da Caça protetora de Sais (também era conhecida como a deusa do Céu). Assim como o caçador que reparte sua caça com o grupo a qual pertence, o signo de Virgem também necessita  dividir e servir o próximo.

Os filhos de Neith nasceram para assistir  o líder mas, dificilmente, para serem o próprio líder. Não suportam pressões e preferem se adaptar às circunstâncias; numa posição mais subordinada, esses nativos tem mais condições de ajudar, disciplinar, ordenar e consertar uma situação.

Nativos menos evoluídos apresentam um certo grau de frieza emocional e medo da exposição pessoal. É comum, nesses casos, a servidão exagerada, a preguiça e uma vida extremamente mecânica, carente de vivacidade e dinamismo.

Os nativos desse período são práticos, amam a natureza, o conforto material e são ótimos planejadores. Contudo, o envolvimento com o trabalho pode ser tão grande que problemas relacionados ao "stress" são muito comuns para Neith. O trabalho deixa de ser um ofício e para virar  vício.

MAAT (16/09 até 15/10)

Constelaçãode Libra

Maat era a deusa da Justiça e da Verdade, ligada ao equilíbrio (Libra) necessário para a convivência pacífica entre todos os seres. Maat rege o primeiro signo social do zodíaco egípcio.

São pessoas amáveis, sociáveis, amam as artes e as coisas belas da vida e conseguem julgar sem os excessos das paixões.  Os filhos de Maat menos evoluídos apreciam a futilidade das conveniências sociais e  os prazeres de orgias e badalações. Os mais evoluídos, interessam-se mais pelo lado espiritual da vida e a relação de equilíbrio e beleza existente na natureza.

A carta da Justiça, arcano 8, mostra que sua vida muda de 8 em 8 anos, para pior ou para melhor. Não conseguem viver sozinhos e estão sempre atrás de um relacionamento que lhes tragam o equilíbrio que tanto necessitam.

 

OSÍRIS  (16/10 até 15/11)

    Constelação de Scorpio

Osíris é o deus que preside o grande Tribunal dos Mortos, aquele que decide a sorte das almas: a destruição pelo monstro Ammit ou o renascimento numa nova encarnação. Escorpião é regido por Plutão, o deus grego do inferno, aquele que comando o sub-mundo: morte, destruição, transformação e renascimento  são a tônica desse signo.

Existem três tipos de Osíris (ver lenda de Osíris): Osíris Vivo: é um ser evoluído, interessado pelo lado espiritual da vida e está acima de seus problemas, não sendo afetado por nada; Osíris Morto: é um ser de baixa evolução, dominado pelo vício, mediocridade, rancores e espírito de vingança. Apresenta interesse pela magia negra e, nessas condições, pode tornar-se  o pior e o mais perigoso perfil zodiacal; Osíris Renascido: é o nativo de alta evolução que conseguiu ultrapassar a barreira da morte e entra num novo mundo renascido, pleno de seus poderes espirituais.

Enfim, os filhos de Osíris geralmente são mal-compreendidos e temidos (Osíris foi odiado e morto por seu irmão Seth). Para mudar essa situação, cabe a eles despertar o lado místico, curador, magnético e transformador latente em todos os nativos desse signo. A simbologia da ave mitológica Fênix, que renasce das cinzas, caracteriza muito bem Osíris.

 

HATHOR  (16/11 até 15/12)

 Constelação de Sagitarius

Hathor é a deusa da alegria, do amor e dos prazeres (junto com Nut e Neith forma a trindade das deusas do Céu). 

Os nascidos nesse período são cheios de esperanças, alegres, joviais, empreendedores, perseverantes e ambiciosos. Gostam da liberdade e possuem inclinação para a Filosofia e as Ciências.

Facilmente os filhos de Hathor atingem o sucesso devido a sua apurada intuição. Terão boas relações sociais e proteção e estima de amigos poderosos.

Os seres menos evoluídos tendem a ser irônicos, maliciosos e adeptos ao vício. Ao contrário de um nativo de Hathor evoluído, não possuem a espiritualidade desenvolvida.

Para Hathor, o importante não é chegar a um lugar, mas sim, como e porquê chegar.

 

ANÚBIS  (16/12 até 15/01)

  Constelação  Capricornius

 Anúbis era filho de Osíris e dominava o mundo dos mortos, conduzindo a alma dos defuntos até o Tribunal de Osíris (que decidia ou não pelo novo renascimento da alma). No hemisfério norte é inverno e toda a natureza esta em compasso de espera pelo novo renascimento que ocorrerá na primavera. Saturno, o Senhor da Morte e do Carma, rege Capricórnio.

Os filhos de Anúbis  gostam de regras sociais rígidas e do poder e da posição social que isso acarreta. O trabalho é visto como algo importante e, através dele, os regidos por esse signo deixam suas marcas  no mundo. Essa marca pessoal na sociedade é crucial para o nativo de Anúbis pois, inconscientemente, ele sente que será julgado pelo que edificou de bom ou de ruim nessa vida (quem sabe, uma reminiscência do Tribunal de Osíris).

De um modo geral, são práticos e pouco ligados ao mundo espiritual; em nativos pouco evoluídos, pode ocorrer uma ação autoritária. controladora e disciplinadora em excesso, principalmente com a família.  São muito apegados à tradição e a hierarquia.

Os nascidos neste período devem encarar a vida com mais despreocupação pois ela não se resume apenas ao trabalho; deixe desabrochar seu lado infantil de vez em quando; você se sentirá muito melhor.