Gnose

- A Alquimia -

Sexologia Transcedental 

Podemos estudar a sexologia sob dois ângulos completamente diferentes: um desde o ponto de vista oficial, tal como se ensinam nas escolas de medicina, e o outro, desde o ponto de vista gnóstico.

Gnosis significa “conhecimento”. A palavra também é utilizada na Ciência Oficial. Por exemplo, “diagnosis”, “diagnóstico”... Aí se encontra a Gnosis na própria etimologia. As correntes gnósticas definidas conhecem a fundo a Sexologia.

Sigmund Freud, com sua Psicanálise, iniciou uma época de transformações extraordinárias no campo da Sexologia. Produziu uma inovação no terreno da Medicina, e isso sabem todos que estudaram Freud. E seus discípulos, como Adler, Jung e muitos outros psicólogos e parapsicólogos, seguiram seu trabalho.

O sexo em si,  é o centro de gravidade de todas as atividades humanas; todos os aspectos sociais da vida giram em torno do sexo. Observemos, por exemplo uma festa: toda a festa gira em torno do sexo. O mesmo sucede em relação a um bar, restaurante, clube, etc. Hoje em dia o sexo já começa a ser estudado por alguns sábios com propósitos transcendentais; lamentavelmente, hoje em dia abunda a pornografia, e o sexo se desvia a atividades meramente sensuais.

Há várias classes de sexo. Há o SEXO NORMAL, comum e corrente, há o INFRA-SEXO, e o SUPRA-SEXO. Que se deve entender por “sexualidade normal”? Entenda-se como a atividade sexual que conduz à reprodução da espécie. Em relação à infra-sexualidade, há duas classes: Segundo a Cabala, por exemplo, diz-se que “Adão tinha duas esposas: Lilith e Nahemáh”. Lilith representa uma das esferas infra-sexuais: nela se encontram os homossexuais e Nahemáh que representa os abusadores de sexo.

Assim, pois, o sexo normal conduz à reprodução da espécie. E quanto ao gozo sexual,  trata-se de um gozo legítimo do homem. Os que o consideram como um pecado, aqueles que o consideram um tabu, ou que têm a tendência de considerá-lo motivo de vergonha ou dissimulação, estão totalmente equivocados. O gozo sexual de nenhuma maneira poderá ser depreciado, subestimado ou qualificado como tabu.

Quanto ao supra-sexo, sem dúvida é para os gênios, para os homens transcendentais, para as mulheres inefáveis. Jesus de Nazaré, Buda, Hermes de Trimegistro, Moisés, Maomé, Lao-Tsé, Quetzalcoatl, Pitágoras, etc foram suprassexuais. Ao entrar no terreno da suprassexualidade,  entramos no caminho das transformações extraordinárias.

Frederik Nietzsche, em sua obra “Assim falava Zaratustra”, fala francamente do super-homem. Diz: “Chegou a hora do super-homem. O homem é mais que uma ponte entre o animal e o super-homem; um perigoso “olhar para trás”. Hitler interpretou Nietzsche a seu modo considerando até o mais insignificante soldado alemão como um super-homem. O super-homem existe, porém, Hitler tomou o caminho equivocado. Pode-se chegar à estatura de um Super-homem, mas isso só é possível, mediante a transmutação das energias sexuais, e isso pertence ao terreno da suprassexualidade.

Em todo caso, no ser humano, há cinco centros fundamentais: primeiro, o centro intelectual, o qual utilizamos para os estudos, etc; segundo, o emocional; terceiro, o motor; quarto, o instintivo e por último, o sexual.

Quanto ao centro sexual, trata-se do centro ao redor do qual giram todas as atividades humanas. O pensamento, aparentemente é muito rápido, porém, lamentavelmente, é muito lento. O emocional também é muito rápido, porém, não há centro mais rápido que o sexual. Um homem e uma mulher, em milésimos de segundos sabem se completam-se, se estão na mesma “onda” ou não. De maneira que o centro sexual permite registrar com uma rapidez incrível o outro polo. É o centro mais veloz que temos.

Porém, entremos em aspectos mais sutis: muitas vezes, um homem vive feliz com sua mulher, mas percebe que lhe falta algo. Certamente pode suceder que não se sinta completo com sua mulher; pode ser que ela preencha suas necessidades emocionais, porém talvez não haja complementação mental; ou talvez não se complemente sexualmente; ao encontrar outra mulher por aí, pode suceder que está o complemente nesta parte, e então vem isso que se chama Adultério.

Não quero exaltar o Adultério, porque isso seria um absurdo. Muitas vezes acontece que um casal não consegue complementar-se totalmente nos 5 centros, então possivelmente somente encontre complementação com outra pessoa, e daí surge o Adultério.

Suponhamos que um homem se complementa emocionalmente com uma mulher, porém, sexualmente não. Pode encontrar-se com uma mulher com quem se complemente sexualmente... Suponhamos que um homem se complemente mentalmente com uma mulher, porém, emocionalmente não. Pode dar-se o caso que o encontro com uma mulher com a qual venha complementar-se  emocionalmente...Pode suceder que no mundo dos hábitos, uma homem não se complemente com sua mulher. Pode suceder que no mundo dos hábitos encontre outra mulher com a qual se complemente, com a qual tenha afinidade. Esta é a causa de tantos adultérios que dão origem aos divórcios.

Creio que o melhor seria que um homem encontrasse uma mulher que se complementasse com ele no intelectual, no emocional, no centro motor ou mundo dos hábitos,  no instintivo e no sexual, ou seja, um casal ideal, perfeito. Desta forma haveria verdadeira felicidade.

Todavia, estamos falando da sexualidade normal. A supra-sexualidade é diferente. Para entrar-se no terreno da Suprassexualidade, requer-se, a priori, transmutar a ENERGIA  CRIADORA.

Porém, não devemos pensar no sexo somente como uma questão fisiológica. Há que se ponderar que no sexo existe energia. Analisemos a Einstein quando disse:”Energia é igual a massa, multiplicada pela velocidade da luz ao quadrado”. Também disse:”A energia se transforma em massa, a massa se transforma em energia”. É possível transformar massa em energia? Claro que sim! Por exemplo, uma poça d’água numa estrada. Com o calor do sol, essa água vai se evaporando e se converte em nuvens, ou seja, em energia: raios, trovões... todas as águas dos mares e dos rios se convertem em nuvens, e por último, em raios e trovões, quer dizer, em energia. O mesmo sucede com o ENS. SEMINIS, A ENTIDADE DO SÊMEN, quer dizer, o ESPERMA SAGRADO.

Hoje em dia há uma tendência em se considerar o esperma como simplesmente uma substância secretada por nossas glândulas endócrinas sexuais. Se estudarmos detidamente a Psicanálise de Freud, veremos que ele diz o seguinte: “As religiões, em última análise, têm origem sexual”. Estou de acordo com Freud neste sentido. Quando observamos as religiões dos indígenas, por exemplo, as religiões das diversas tribos da América, Ásia e África, podemos ver e evidenciar em forma direta, que em todos os seus cultos há sempre uma mescla do sexual com o místico, quer dizer, do religioso com o erótico: Os Deuses e Deusas se apresentam em grande quantidade de esculturas e pinturas, em posturas do tipo erótico, copulando ... o mais interessante é que essas posturas foram sagradas, nas terras dos Vedas...

Entre os troianos existia bem desenvolvido o aspecto luxurioso, mas em Creta se realizavam grandes procissões, nas quais as sacerdotisas levavam enormes falos. Nessa época o falo não era considerado na forma vulgar como o fazemos hoje em dia, mas sim se lhe rendia um verdadeiro culto. Também se rendia culto ao yoni, o órgão sexual feminino. Não há dúvida que a lança com a qual Longinos feriu Jesus Cristo não é senão uma viva representação do falo. Não há dúvida também que a taça, cálice ou SANTO GRAAL, pela qual lutaram todos os cavaleiros da Idade Média, quando se dirigiram à Terra Santa durante a época das “Cruzadas Eucarísticas”, representavam o yoni feminino, o ETERNO FEMININO. Estes cavaleiros andavam buscando o Cálice no qual Cristo bebeu na “última ceia”. Jamais o encontraram, é óbvio, porém, como recordação daquela época de buscas ao SANTO GRAAL, das lutas contra os mouros, surgiu a Taça das Olimpíadas, taça que se entrega aos vencedores nos jogos olímpicos. Assim, pois, no terreno do Supra-sexual, o Cálice e a Lança são sagrados.

O Esperma é sagrado, porque no Esperma está contida nossa própria personalidade. Os alquimistas medievais viam no esperma o VITRIOLO(VISITA  INTERIORE  TERRAM  RECTIFICATUM  INVENIAM  OCULTUN  LAPIDUM, que significa: “Visita o interior da nossa Terra que retificando encontrarás a PEDRA OCULTA) Porém a que Pedra se referiam, precisamente os alquimistas medievais? A famosa PEDRA FILOSOFAL! Tal pedra há que se fabricá-la. Não há dúvida de que existem algumas fórmulas para a sua fabricação. Mediante o ESPERMA SAGRADO e suas transmutações, é possível conseguir-se a PEDRA FILOSOFAL. A transmutação da “Libido Sexual”(converter o Esperma em energia) é possível quando se conhece a chave.

Se nós podemos dar vida a um filho com o ENS SEMINIS, ou seja, através da energia criadora, podemos reproduzir a espécie e povoar o mundo com milhões de seres humanos, é certo que com o ENS SEMINIS, com a entidade do sêmen  podemos dar vida a nós mesmos e nos convertermos em Super-homens, no sentido mais completo da palavra.

O importante seria conseguir-se a transmutação da “Libido Sexual”. Mediante a transmutação, conseguimos cerebrizar o sêmen e seminizar o cérebro. É importante seminizar o cérebro, pois, segundo a Medicina, hoje em dia, somente uma parte do nosso cérebro está exercendo suas funções. De fato, temos muitas áreas inativas. E se com um pouquinho do cérebro que está ativo, temos conseguido criar foguetes atômicos, naves que viajam à Lua, conseguimos criar a bomba atômica com a qual se destruiu  as cidades de Hiroshima e Nagasaki, conseguimos construir aviões supersônicos que viajam a uma velocidade extraordinária, que tal se nós regenerássemos o cérebro, se puséssemos em atividade todas as partes do cérebro, se a totalidade da massa encefálica entrasse em ação? Poderíamos então transformar esse mundo, mudá-lo, fazê-lo maravilhoso. A chave  se encontra na cerebrização do sêmen e na seminização do cérebro.

Os grandes músicos do passado, um Beethoven, por exemplo, um Chopin ou um Wagner, foram homens que tiveram o cérebro seminizado, homens que deram a seus cérebros, capacidades extraordinárias, que utilizaram uma maior porcentagem das áreas cerebrais. Hoje em dia, a situação é muito diferente; o cérebro humano se degenerou em demasia e o pior é que não nos damos conta disso...E por que o cérebro se degenerou? Simplesmente porque durante vários séculos temos extraído do nosso organismo a ENTIDADE DO SÊMEN. Não a temos extraído unicamente para dar vida a outras criaturas, mas também porque temos alimentado nossa luxúria, dando vazão às paixões carnais. Porém o cérebro acaba pagando as conseqüências.

Somente transmutando a ENTIDADE DO SÊMEN, convertendo-a em energia é que poderíamos regenerar o cérebro.

A transmutação da ENTIDADE DO SÊMEN, se processa através de um artifício muito singular que os Alquimistas Medievais ensinavam a seus discípulos. O artifício consiste no seguinte: CONEXÃO DO LINGAM(FALO), COM A VAGINA, SEM A EJACULAÇÃO DA ENTIDADE DO SÊMEN. O Dr. Krum Heller, médico, coronel do Exército Mexicano, dava a fórmula em latim: “INMISIO MIEMBRO VIRIL IN VAGINA FEMINA SINE EYACULATIUM SEMINIS”.

Alguns cientistas modernos aceitaram esta chave; a Sociedade Oneida, nos Estados Unidos, experimentou esta fórmula. Eles colocaram em prática estes conhecimentos da seguinte forma: Aproximadamente vinte e cinco casais começaram a trabalhar nesta comunidade, vivendo durante certo tempo, no qual copulavam sem a ejaculação da entidade do sêmen. Depois, eram submetidos a estudos clínicos por médicos americanos, os quais observaram resultados surpreendentes. Observaram que, com a seminização do cérebro, o aumento de hormônios no sangue, houve uma melhora extraordinária do organismo, fortalecimento e aumento da potência sexual, e que muitas enfermidades desapareceram.

O interessante deste antigo artifício que constitui o “Secretum Secretorum” dos Alquimistas Medievais, é que através dele, jamais se chegam a degenerar as glândulas sexuais. Quando as glândulas sexuais se degeneram, degenera-se também a HIPÓFISE, e se degeneram também todas as glândulas de secreção interna. Todo o sistema nervoso passa por processos de degeneração e então advém a decrepitude e morte.

Por que existe a velhice? Simplesmente porque as glândulas sexuais entram em decadência. Ao entrarem em decadência, entram em decadência todas as glândulas endócrinas e então se desencadeia todo o processo da decrepitude e da velhice. Mas se houvesse um sistema que permitisse que as glândulas sexuais não se degenerassem, não sofressem o esgotamento, poder-se-ia conservar todo o Sistema Nervoso em perfeita atividade, e então não haveria velhice e decrepitude, isto é óbvio.

Segundo os famosos médicos Dr. Arnoldo Krum Heller e Dr. Brown Sequard, é possível conservar as glândulas sexuais durante toda a vida, por meio deste sutil artifício. Isto significa que um homem que praticasse tal sistema, poderia chegar à idade de 90 a 100 anos, sem perder a capacidade de copular, gozando livremente do prazer sexual, que é um prazer legítimo do homem, que não é um pecado, que não é um tabu e que não deve ser um motivo de vergonha ou dissimulação.

Mediante a transformação da ENTIDADE DO SÊMEN em energia, processam-se transformações psicológicas extraordinárias: Desenvolve-se a GLÂNDULA PINEAL, a qual esteve ativa em outras épocas, em tempos antiqüíssimos da História. Naquela época, o ser humano possuía aquele olho que nos fala Homero em sua obra Odisséia: O OLHO DOS LAECÉRTIDOS, o olho que vira naquele terrível gigante que tentou devorá-lo. Este OLHO DOS LAECÉRTIDOS não é uma mera lenda, sem fundamento algum... Mediante a transmutação sexual, essa glândula se desenvolve, entra de novo em atividade. Este é o olho que nos permite perceber o “ultra” das coisas.

Nosso mundo não é somente de três dimensões como acreditam os “ignorantes ilustrados”; nosso mundo existe em uma quarta vertical e ainda podemos assegurar com toda a certeza que existe uma quinta vertical, uma sexta e uma sétima. Isto significa que nunca vimos nosso mundo como ele é verdadeiramente, e isto porque nossos cinco sentidos estão degenerados, nossa glândula pineal está atrofiada. Há também outros sentidos de percepção que se degeneraram em nós. Se conseguirmos regenerá-los, poderemos perceber o mundo como ele é, com suas sete dimensões.

Assim, pois, a crua realidade dos fatos é que mediante a transmutação sexual se podem regenerar a Pineal, e os outros sentidos que estão atrofiados. Desta maneira, teríamos acesso a um mundo de conhecimentos extraordinários, teríamos acesso às Dimensões Superiores da Natureza e do Cosmos, e assim poderíamos ver, ouvir e apalpar as grandes realidades da Vida e da Morte; poderíamos aprender, capturar todos os fenômenos cósmicos em si mesmos, tal como são e não como aparentemente são.

TRANSMUTAÇÃO é a chave: transformar o ESPERMA, modificá-lo em energia. Eis aqui o fundamental. Chegou, pois, a hora de compreender isso a fundo, integralmente...

Se um homem se propusesse a cumprir essa fórmula tão simples, com este artifício que nos ensinou o Dr. Brown Sequard, que nos ensinou o Dr. Krum Heller e os alquimistas medievais, poderia afirmar-lhes com grande ênfase e absoluta segurança que esse homem se transformaria no decorrer do tempo em um Super-Homem.

Todos precisamos sentir a necessidade de mudar, de nos convertermos em algo diferente, isto se não somos reacionários, porque o conservador, o retardatário, não deseja mudar. Porém, quando uma pessoa quer mudar fundamentalmente, transformar-se em algo diferente, pode converter-se num Super-homem, fazer da doutrina de Nietzsche, uma realidade.

É possível mudar, mediante a transmutação sexual. A força sexual nos colocou no tapete da existência e isso ninguém pode negar. Nós existimos, vivemos, graças a que tivemos um pai e uma mãe. Em última síntese, a raiz de nossa vida está na cópula de um homem e de uma mulher. Agora, se a força sexual teve o poder de nos colocar no tapete da existência, obviamente é a única que de verdade pode nos transformar radicalmente.

No mundo de hoje há muitas ideologias, muitas crenças e cada qual é livre de crer no que lhe agrade, porém, a única força que tem a capacidade de transformar-nos é a que nos criou, a força sexual. Aprender a controlar essa energia maravilhosa do sexo significa fazer-se amo da Criação.

Quando o Esperma Sagrado se transforma em  energia, produzem-se transformações psicossomáticas extraordinárias. Os hormônios das gônadas passam de vaso em vaso ao longo dos cordões espermáticos, até chegar à Próstata. Sabemos quão valiosa é a Próstata: ali se produzem as maiores transformações na ENTIDADE DO SÊMEN e por último, os hormônios entram na corrente sangüínea.

A palavra HORMÔNIO vem de uma raiz grega que significa ÂNSIAS DE SER, FORÇA DE SER. Os hormônios têm sido estudados pelos homens de ciência, e sabe-se que entrando na corrente sangüínea realizam prodígios. Quando atingem as glândulas endócrinas, seja as Tireóides, Paratiróides, sejam as suprarenais, ou a Timo, etc, estimulam-nas, fazem com que estes pequenos microlaboratórios produzam mais hormônios, e esses hormônios, produzidos por todas as glândulas, em geral, enriqueçam toda a corrente sangüínea de forma extraordinária; então desaparecem as doenças.

Lamentavelmente, nos dias de hoje, o Esperma, que é preparado e que sobe até a próstata, é desperdiçado e nem sequer deixam-se espalhar os zoospermas entre os hormônios, quando já se arrojam para fora do organismo. Muitas vezes, nem sequer alcançam ascender desde os testículos até à próstata, quando já é eliminado.

Quanto aos masturbadores, quê diremos? Quando alguém se masturba, sem dúvida está cometendo um crime contra a Natureza: depois que se ejaculou a ENTIDADE DO SÊMEN, produz-se um certo movimento peristáltico. Com tal movimento, o falo recolhe do útero da mulher a energia que necessita para alimentar o cérebro; porém, com a masturbação, o único que o falo recolhe é o ar frio que vai ao cérebro, provocando esgotamento de muitas faculdades cerebrais. Muita gente tem chegado ao manicômio pelo abominável vício da masturbação, pois um cérebro cheio de ar é um cérebro estúpido em cem por cento.

Quando o Esperma se transforma em energia, é muito diferente; porém, isso só é possível durante a cópula, evitando, pois, a todo custo, a ejaculação do ENS SEMINIS porque, como diziam os melhores sábios medievais, dentro dele se encontra todo o ENS VIRTUTIS do fogo, quer dizer, a ENTIDADE ÍGNEA DO FOGO.

Enriquecer o sangue com hormônios, não me parece um delito; a transmutação do Esperma em energia está muito bem documentada por homens como Sigmund Freud e outros tantos. O importante é aproveitar a potencialidade sexual para seminizar o cérebro e desenvolver a Glândula Pineal, a Hipófise e outras, conseguindo-se uma transformação orgânica maravilhosa.

O psicossomático está intimamente relacionado com o sexual. Uma suprassexualidade implica também em algo suprassexual dentro do psicossomático. Por isso, digo-lhes com toda claridade que Hermes Trimegistro, Quetzalcóatl, Buda, Jeshua Ben Pandira(que é o próprio Grande Kabir Jesus) foram suprassexuais; pois, o suprassexual é o Super-Homem de Nietzsche.

Pode-se alcançar a estatura de um super-homem, entrando no terreno da suprassexualidade, sabendo gozar do amor, da mulher, sabendo viver com alegria, com mais emoção e menos raciocínios inúteis.

Assim, pois, dentro de um ponto de vista revolucionário, nós podemos nos converter em verdadeiros DEUSES-HOMENS, se assim o quisermos. Bastaria que regenerássemos as áreas do cérebro e então faríamos um mundo melhor. É indispensável saber que a chave dada para a transmutação, é também a chave para a REGENERAÇÃO.

Os sábios da antigüidade nos falavam de um FOGO SOLAR, que existe sempre em toda matéria orgânica e inorgânica. Este fogo, naturalmente, no que concerne ao homem, está encerrado em seu sistema seminal. Não se trata, naturalmente, de um fogo físico; é diríamos, um fogo de tipo supra-dimensional, psicológico ou metafísico. Este FOHAT(palavra que significa “FOGO DE TIPO ESTRITAMENTE SEXUAL”, e que todos sentimos durante a cópula), pode desenvolver-se e ascender desde o nosso sistema seminal através da nossa coluna vertebral(pelo canal medular). Quando este fogo ascende, desperta em nós poderes que ignoramos, poderes extraordinários de perfeição, de extra-percepção sensorial; poderes que divinizam. Porém, há que despertá-los mediante a transmutação da Libido, sabendo gozar do Amor. A mulher também pode despertá-los da mesma forma.

Com esse fogo se realizam prodígios. Os orientais o denominam “Kundalini”, e é maravilhoso. Nossos antepassados mexicanos o denominavam “SERPENTE”, porque, segundo eles, tem figura de SERPENTE SAGRADA, que sobe ao longo do canal medular-espinhal.

No Oriente, fala-se de sete centros que existem na espinha dorsal: SETE CENTROS MAGNÉTICOS ( chacras ) que poderiam ser perfeitamente estudados, com placas especiais e também com agulhas imantadas e outros métodos de investigação. O primeiro está no cóccix; quando entra em funcionamento, confere-nos determinados poderes sobre o Elemento Terra. O segundo está na altura da próstata, e nos confere poder sobre os elementos aquosos do nosso organismo. O terceiro está na altura do umbigo, o qual despertado permite-nos controlar nosso temperamento e até atuar sobre o fogo Universal. O quarto, à altura do coração, e é óbvio, confere-nos certas faculdades extraordinárias, como a Intuição e muitas outras. O quinto está à altura da glândula tireóide(que secreta o iodo biológico) e nos confere certo poder psíquico extraordinário: a chamada clariaudiência, o poder de escutar os sons do ULTRA. O sexto, à altura do entrecenho, que nos dá poder para perceber as dimensões superiores da Natureza e do Cosmos. E o sétimo, à altura da glândula pineal, que nos dá o poder para ver os Mistérios da Vida e da Morte.

Assim, pois, estas faculdades se encontram latentes dentro do nosso organismo e podem ser despertadas com esse fogo extraordinário que os hindus chamam de Kundalini, que sobe pelo canal medular, mediante a transmutação sexual. Porém, para se chegar a essas alturas, necessita-se trabalhar com este Secretum Secretorum durante toda a vida. Quem assim proceder, transformar-se-á em Super-Homem e poderá penetrar no anfiteatro da Ciência Cósmica, poderá adentrar-se na Universidade da Ciência Pura e resolver os problemas que a ciência oficial ainda não conseguiu resolver.