INICIADO - TRIPLO TAO

Este símbolo é utilizado por vários grupos esotéricos e místicos, ele é usado com ou sem círculos a sua volta, com ou sem pirâmides e outras vezes acompanhados de outros símbolos ou escritas.

Ele é conhecido como Triplo Tao.

Este é o símbolo sagrado terreno utilizado pelos iniciados na GFB.

O Triplo Tao, é identificado por utilizar uma letra grega, seria o nosso T ocidental , também utilizada pelos hindus e judeus como símbolo de eternidade, do sagrado, do escolhido, que quando combinada em três, simboliza a santíssima trindade. O pai, o filho e o espírito santo, todos juntos formando a centelha divina, feita a imagem e semelhança do creador, o EU SOU, nossa divina presença.

Jesus dizia, EU SOU o caminho, a verdade e a vida, ninguém vai ao pai (DEUS) se não por mim (EU SOU - SUA PRÓPRIA DIVINA PRESENÇA)

TRIPLO TAO

EU SOU O QUE SOU

O tao, é e foi utilizado por diversos grupos e sociedades, de forma mística ou religiosa, onde foram combinadas em uma, duas, três e até quatro letras tao, dentro, fora ou agregado a outros símbolos, o triangulo por fora do triplo tao reforça o significado da trindade, e o circulo por fora representa a evolução continua, a busca sem fim, a eternidade de iniciado, bem como a dificuldade de acessar e praticar estes conhecimentos, para adentrar neste simbolo do tao triplo como um iniciado da GFB, é necessário romper este circulo e compreender que EU e o PAI SOMOS UM.

Em nossos estudos, é muito importante explicar que existe um outro símbolo muito parecido, é como se fosse igual, seria a letra T sobre a letra H, que representa o Templum Hierosolymae, nada mais, nada menos, que o templo de salomão, este por sinal é o verdadeiro símbolo do Real Arco Maçom, e em nada tem haver com o Triplo Tao, este foi um erro cometido pelas sociedades de maçom, isso é comprovado no primeiro regulamento do Real Arco, escrito em 12/06/1765, aponta a sigla TH como emblema do Real Arco e decifra seu significado, e em 1766 surgiu a instrução para posicionar o T sobre o H em todo seu uso. Thomas Dunckerley, grande defensor e promotor do Real Arco, deixou essa informação em evidência em correspondência oficial datada de 27/01/1792. Curiosamente, quando colocaram o T sobre um H rebaixado, transformou-se no Triplo Tao, sendo assim, o Real Arco Maçom, é na verdade um T sobre um H e tem relação ao Templo de Salomão, mas o que é mais curioso, é que o Templo de Salomão foi construído para abrigar a Arca da Aliança e ser a casa de Deus, ou seja, representar a Santíssima Trindade, o Pai, o Filho e o Espírito Santo, ou seja, os ensinamentos ligados a estes símbolos estão interligados, tanto no Triplo Tao, quanto no Real Arco Maçom.

Existem dois ritos que os maçom seguem, o rito escocês e o rito de york, ambos os ritos tem 33 graus de conhecimento, sendo que no rito escocês o real arco é apresentado no grau 13, e no rito de york, no grau 7, como o rito do real arco é de iniciação com alta exigência de conduta social, mental e emocional, os poucos maçons habilitados seguem uma evolução de aprendizado em separado dos 33 graus, onde não existe graus ou alcance de conhecimentos exotéricos, nas práticas esotéricas ou nos conceitos místicos, é como se fosse um grupo menor, dentro de um grupo maior, na verdade, é uma nova ordem dentro da maçonaria, são nos degraus 7 e 13 citados, que os iniciados ao real arco, conhecem Saint Germain, os mestres da GFB e o I AM (EU SOU), passam a ser conhecidos como mestres do segundo véu. Existem até posturas físicas e de mãos que são exclusivas dos iniciados no real arco maçom, bem como nos iniciados do Triplo Tao.

A maçonaria tem duas linhas de segmento, a social e a esotérica, a linha social não é religiosa e é a que tem mais adeptos, mas a linha esotérica é com certeza religiosa, a uma diferença no tratamento de Deus entre as duas linhas. Você pode ser um maçom na linha social e ter sua própria religião, mas ao seguir a linha esotérica maçom, o seu Deus passa a ser o GADU, Grande Arquiteto do Universo.

O nome de Deus dos iniciados ao Triplo Tao, é a Grande Célula Mater. Lembramos aos estudantes que não existe personalidade masculina ou feminina quando nos referimos a Deus.

Jesus disse, meu pai tem muitas moradas, a palavra Deus tem diversos nomes diferentes de acordo com cada civilização, só porque tem nomes diferentes, não significa que não é o mesmo Deus, não é mesmo.

No ritual do Real Arco, são apresentados novos nomes de Deus ao iniciado, são três nomes, que quando soletrados juntos formam a seguinte palavra, JAH.BUL.ON, que é as somas do nome de Deus em Hebreu, Cananeu e do antigo Egito. Aqui temos a comprovação de uma religião dentro da maçonaria sem uma religião. Para um maçom se tornar um iniciado deve exibir a realização de uma nova ordem em sua vida e um nível extremamente elevado de pensamento e de instrução, os mesmos níveis de exigência para um iniciado da GFB.

JAH.BUL.ON é um composto de três termos, jah (eu sou - indica eterna existência), bul (no alto, no céu), e ON (força), três aspectos da deidade, que são, existência eterna, transcendência e onipotência. A ideia aqui é passar ao iniciado que existem muitos nomes diferentes para representar o divino, e no final, todos os nomes são de apenas um.

Eu Sou Wilson Jr.